Política Externa

Argentina – Política Externa

João Galdino D. Rodrigues

A Política Externa da Argentina é conceituada historicamente como incoerente, descontínua e consequentemente contraditória, principalmente sob os governos “Kirchneristas”, porém, desde Alfonsín e Menem, essa situação já era encontrada. A Argentina começou a construir esse ambiente ambíguo muito antes, por exemplo, com sua neutralidade da Segunda Guerra, na defesa do Capitalismo frente ao Comunismo na Guerra Fria, na Guerra das Malvinas, mas, principalmente durante o governo Menem, o chamado aluno do FMI e do Banco Mundial (Com relações muito próximas dos Estados Unidos) e dos governos Kircheristas com a vitimização das imposições destas duas instituições citadas (Com relações muito afastadas dos Estados Unidos).

Durante o governo de Nestor Kirchner, a Argentina se encontrava afundada na crise econômica, mesmo após decretar moratória menos de 2 anos antes, então, Kirchner equilibra parte da dívida externa, e usa isso como base para sua política externa, não obtendo êxito, pois, não obtinha sucesso diplomático, afastando o resto do mundo e manchando a imagem do país com atitudes consideradas grosseiras, como não receber representantes diplomáticos.

No governo seguinte, de Cristina Kirchner, a situação não continuou como seu marido havia deixado, mas não mudou em grandes proporções. Isso quer dizer que, de maneira geral, Cristina focou seu mandato para resolver problemas internos e afastou a política externa do que seria essencial.

O atual presidente, Macri, diferente de todos, quer transformar a Política Externa da Argentina, principalmente nas relações com seus vizinhos e na política regional. Sabe-se que o presidente quer refazer políticas de Menem e de Alfonsín, contra politicas peronistas que o congresso tenta fazer. Macri, assim como, Alfonsín e Menem aplica suas políticas em princípios do liberalismo somadas ao peronismo. Um ponto importante da atual política externa, é a nomeação de Susana Malcorra para o Ministério de Relações Internacionais, já que, o ponto de maior reflexão de Macri é a reinserção da Argentina no mundo, principalmente em questões econômicas, sendo assim, Malcorra possui um currículo invejável no plano privado, e também, no plano público, porém, menos ligados a questões econômicas como na ONU e que a ajudarão em questões onde o papel do posicionamento é muito importante.

Para saber mais sobre a política externa dos governos Kirchneristas:

Sobre a política externa do governo Menem:

Sobre a Política Externa do governo Alfonsín:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s