Análise da Semana

Os conflitos na Venezuela

Vinícius Silva dos Santos

A maioria de vocês deve ter visto na semana passada o que houve na Venezuela. O presidente Nicolás Maduro convocou uma Assembleia Geral Constituinte com o objetivo de formular uma nova Constituição no país, que passa por uma crise política e econômica gravíssima.

Os oposicionistas e a imprensa local enfatizam que a convocação dessa assembleia é mais um golpe de Maduro contra a democracia e a população venezuelana. Porém, outros veículos de divulgação do país, mostraram durante a semana que Maduro tem se reunido com diversos grupos organizados na Venezuela para discutir a nova constituinte.

Mesmo com essa movimentação do presidente, a semana foi bem difícil para ele, pois, diversos protestos de grupos oposicionistas se espalharam por Caracas. Inclusive, os manifestantes destruíram a estátua do ex presidente Hugo Chávez.

Em resposta às ruas, nesta terça feira a Assembleia Nacional venezuelana que representa o legislativo do país declarou como “inconstitucional e nulo” a tentativa do presidente de estabelecer a Assembleia Geral. Enfim, está tudo muito incerto ainda sobre os desdobramentos deste processo, nos resta aguardar.

O Brasil foi um dos primeiros países a se manifestar sobre a posição de Maduro. Nosso Chanceler, Aloísio Nunes postou o seguinte texto em seu facebook:

“Qualifico como um golpe a proposta do Presidente Nicolás Maduro de convocar uma Assembleia Constituinte na Venezuela. É mais um momento de ruptura da ordem democrática, contrariando a própria Constituição do país.”

Outro fato relevante e, ao mesmo tempo, conturbado da política externa venezuelana foi uma solicitação da Human Rights Watch para o Conselho de Direitos Humanos da ONU para suspender a Venezuela do Conselho. Hillel Neuer, diretor executivo da ONG, declarou que as atrocidades que estão acontecendo na Venezuela somado a violação exacerbada dos direitos humanos nunca aconteceu antes na história do país e informou que a Argentina, Brasil, México e outros membros da OEA estão trabalhando para a convocação de uma reunião de emergência do Conselho de Direitos Humanos para discutir o caso.

O “Ministerio del Poder Popular para Relaciones Exteriores” da Venezuela divulgou um comunicado em seu site informando que o presidente Nicolás Maduro felicitou o presidente francês eleito Emmanuel Macron pela vitória reafirmando o compromisso de seguir trabalhando em conjunto na construção dos interesses de ambas as nações com respeito e benefício mútuo.

Se quiserem acompanhar as notícias da política externa do governo venezuelano, podem consultar o site do MRE (http://mre.gob.ve), o principal portal do governo (http://www.gobiernoenlinea.ve/) divulga pouquíssima coisa sobre o país e ainda está bem desatualizado. Outro canal de comunicação interessante para entender o posicionamento do governo é o site do Partido Socialista Único Venezuelano (PSUV – http://www.psuv.org.ve/), que é o partido de Maduro. Ao analisar as questões venezuelanas é sempre importante levar em consideração duas ou três fontes, pois, geralmente existe uma tendenciosidade muito grande na divulgação dos fatos.

Para saber mais:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s