Análise da Semana, Política Externa

Como foi a semana da Política Externa do Canadá?

Júlia Vilela Fernandez

O governo de Justin Trudeau tem enfrentado pressão dos deputados de todos os partidos políticos sobre a questão dos falsos consultores de imigração, eles enganam pessoas que estão atrás de conseguir trabalho e viver no Canadá.

Essa semana foi cheia de audiências para o Comitê de Imigração dos Comuns sobre os “consultores fantasmas”, os deputados que participaram do conselho estão considerando recomendações que vão desde a revisão do mesmo á a distribuição do órgão independe de supervisão impondo penas mais pesadas para esses ladrões. Foram relatadas várias histórias de clientes enganados, ao todo 50 testemunhas, desde os que perderam milhares de dólares até os que foram para o Canadá em promessa de trabalho e foram largados no meio de estradas ou deixados em um armazém.

O deputado liberal e presidente do comitê Borys Wrzesnewskyj, disse que o testemunho sobre consultores fantasmas deixou claro que isso não pode continuar. “Não será um trabalho fácil. O fato de ter sido estudado várias vezes e ainda temos que ouvir as circunstâncias e suas histórias muito pungentes falando sobre isso”, disse Borys sobre o caso, ele espera que o comitê consiga elaborar tudo antes da entrado do verão. A crítica conservadora de imigração, Michelle Rempel, acredita que existe um amplo consenso de que o sistema atual está quebrado e precisa de uma solução urgente.

Na próxima quarta haverá um discurso de política externa do Canadá, na qual a ministra de relações exteriores, Chrystia Freeland, vai apresentar a revisão do plano diplomático, que já foi muito elogiado pela conduta com o presidente norte-americano Donald Trump, o que podemos esperar de fato do discurso é uma total mudança para as questões das quais o Canadá olhava com o partido conversador, depois de tantos anos de portas fechadas surge os artigos do governo liberal sobre as mudanças climáticas, trabalho com instituições multilaterais e defendendo igualdade e diversidade; para muitos isso é elogiado de forma positiva para ver o Canadá mais ativo no meio internacional.

Os membros do governo sugeriram que a ênfase será nos chamados Three D’: diplomacia, desenvolvimento e defesa; essa foi uma frase popular a mais ou menos uma década, mas saiu de cena durante a campanha da era conservadora para equilibrar o orçamento de 2015, com isso todos os três pontos sofreram cortes. O que a população canadense mais que ver é um plano para reconstruir a diplomacia canadense que está bem quebrada no momento.

Para saber mais sobre os consultores fantasmas:

Para saber mais sobre o discurso de política externa do Canadá:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s