Análise da Semana, Política Externa

Como foi a semana da Política Externa do Peru?

Pedro Henrique Gonçalves

Você sabe o que andou acontecendo com nossos hermanos andinos ao longo desta semana? Vamos a algumas novidades dessa semana.

O atual presidente peruano Pedro Pablo Kuczynski (do partido PPK) se reunirá hoje (quinta-feira) com o novo presidente eleito na França Emmanuel Macron no Palácio do Eliseo. Junto com o presidente estão também o chanceler Ricardo Luna e o ministro da economia, Alfredo Thorne; fazendo parte da comitiva presidencial.

O presidente e sua comitiva serão o primeiro governo latino americano a serem recebidos pelo novo presidente francês, desde que ele assumiu o cargo em 14 de maio. Mas a viagem da comissão peruana não tem interesse apenas na França, depois do encontro a comitiva deve se direcionar para Madrid para cumprir parte de suas atividades oficiais. Mas você pode estar se perguntando o motivo desses encontros, certo? Bom, de acordo com o próprio presidente da Associação de Exportadores (Adex), Juan Varilias, a viagem do presidente Kuczynski à França e Espanha permitirá atrair investimentos destinados a dinamizar a economia e apoiar o processo de reconstrução do câmbio peruano.

Varilias declarou: “Cada vez que o presidente (Kuczynski) sai para buscar e atrair investidores é algo que é muito conveniente ao país, porque estamos em uma etapa conjuntural onde o Perú tem que começar a fazer inversões para reativar a economia. Considero que isso poderá se concretizar com essas visitas”.

Na Espanha, em Madrid, o presidente se encontrará com o chefe de governo e com o Rei Felipe VI, assim como outras personalidades da política e da cultura. Nessa semana também, o Peru mostrou publicamente o seu descontentamento frente a decisão do presidente norte americano, Donald Trump, e sua decisão de retirar os Estados Unidos do Acordo Climático de Paris. O Peru reforçou a importância e relevância que esses acordos representam internacionalmente e se colocou junto com a Alemanha, Itália e outros países num posicionamento de que o Acordo Climático de Paris não é renegociável.

Em uma era de extremismos e um discurso de nacionalismo forte nascendo entre os Estados, o governo peruano tomou conhecimento das intenções do governo equatoriano de construir um muro na fronteira com o Peru.

O presidente da Comissão de Relações Exteriores, Juan Carlos del Águila, mostrou sua confiança em que o Equador atenda positivamente ao pedido feito pela chancelaria peruana, a fim de que paralisem as obras da construção do muro na fronteira. “A diplomacia equatoriana compreenderá que uma iniciativa desta natureza não conduz ao fortalecimento das boas relações nessas áreas fronteiriças” Afirmou, Águila.

Semana que vem, temos mais. Até!

Para saber mais:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s