Análise da Semana, Política Externa, Relações Exteriores

O que aconteceu na Semana da Política Externa da Argentina?

João Galdino D. Rodrigues

A Política Externa Argentina, na semana que passou, obteve alguns avanços, porém tiveram muito trabalho. Apesar de a maior parte dos trabalhos circundam um único tema, é, provavelmente, o tema de maior relevância da política externa e do governo Argentino, as Ilhas Malvinas, Georgias do Sul e Sandwich do Sul, além dos espaços marítimos circundantes.

Vamos por partes, a semana se inicia lá no dia 18. O primeiro ponto de relevância, ocorreu no dia 20, alguns países da OEA, como Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, México, Paraguai e Peru, expressaram seu desgosto sobre a reunião dentro do âmbito da OEA a respeito da Venezuela, já que, não houve um consenso na chamada XXIX Reunião de Consulta de Ministros (Ocorrida ainda em maio). Ainda no início da semana, ocorreram duas reuniões com a participação do Chanceler Faurie, a 47° Assembleia Geral da OEA, e outra com o CARICOM (Uma comunidade do Caribe), já que, a Argentina colabora com essa comunidade há mais de 20 anos. Ambas as reuniões serviram como abertura de diálogo entre as nações. Houve ainda, outras pequenas reuniões com secretários e ministros que estavam no México para a reunião da OEA, destacando a reunião com John Sullivan, Secretário de Estado Adjunto dos Estados Unidos, onde foram abordados tema comércio, segurança, terrorismo e narcotráfico.

A 47ª Assembleia Geral da OEA, decidiu apoiar a ideia do Chile e da Argentina para reabrir o diálogo pacífico bilateral da Argentina com o Reino Unido, sobre as Malvinas, por considerar um interesse hemisférico. Ressalta-se os países que seguiram a Declaração do Brasil, apoiando a Argentina – Peru, Paraguai, Bolívia, Chile, Guatemala, República Dominicana, Colômbia, Equador, Nicarágua, Venezuela e Uruguai, além do Secretário Geral da OEA.

A partir do dia 23, a saga das Malvinas tem pontos altos. A iniciar pela reunião do Comitê Especial de Descolonização da ONU, em Nova York, onde foi estabelecido que Argentina e Reino Unido devem abrir um diálogo sobre as Ilhas, dessa forma, a ONU oferece respaldo a Argentina e a ideia do Chile para obter um final pacífico a esta situação.

Para saber mais sobre os pontos que causaram desânimo na 29 Reunião de Consulta de Ministros de Relações Exteriores da OEA:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s