Conflitos, Fronteiras e Imigrações, Intolerância

Paraguai e os “Brasiguaios”

Heloysa Ramos Santana

Uma das questões de intolerância no Paraguai é sobre os “brasiguaios”, tema já mencionado em um artigo anterior.

Primeiramente, o termo “brasiguaio” pode adquirir diversos significados: pode ser o brasileiro que viveu no Paraguai e voltou para o Brasil; empresários plantadores de soja, que na visão dos camponeses paraguaios, estão os expulsando e destruindo o meio-ambiente; os próprios imigrantes; os paraguaios que convivem mais com os brasileiros; como também os descendentes dos brasileiros que nasceram no Paraguai. Porém, os brasileiros que prosperaram evitam se autodenominar “brasiguaios” devido a comum associação com brasileiros pobres que não enriqueceram no país.

Os dados sobre a quantidade de brasileiros no país é impreciso, variando de 108 a 500 mil pessoas, mas estima-se que seja a segunda maior comunidade de brasileiros no exterior. A imigração se iniciou nos anos 1950 e intensificaram-se com a construção de Itaipu em 1970, sendo favorecida pelo menor preço da propriedade rural, poucos impostos e incentivos de Stroessner.

Aqueles que prosperaram devido o agronegócio (principalmente soja, café e menta) passaram a ter forte influência econômica e política na região, o que levou a reação de certos setores da sociedade Paraguai, como camponeses, religiosos e intelectuais de esquerda, que passaram a acusá-los de invasores. Já a sensação de serem vistos como “invasores” provoca duas reações entre imigrantes brasileiros: se fortalece o ressentimento e estereótipos em relação aos paraguaios para alguns, enquanto que para outros o medo de conflitos levam a certas formas de integração.

Desde 1989, com o fim da ditadura Stroessner, a questão da terra tornou-se problemática. Não houve reforma agrária, e os grandes latifúndios são vistos como consequência da venda de terras públicas para estrangeiros. Por isso, os brasileiros são atribuídos como responsáveis por acentuar as desigualdades sociais no país. Deste contexto originou diversas tensões e conflitos, envolvendo até mesmo mortes, tanto de camponeses paraguaios como de imigrantes brasileiros. Após a vitória de Fernando Lugo em 2008, isso se intensificou devido o aumento das ocupações por estrangeiros, provavelmente como uma forma incitar uma reforma agrária, uma das razões de Lugo ter tido o apoio dos setores camponeses.

Portanto, se de um lado os conflitos e atritos existem, de outro o convívio e a presença dos brasileiros levam a um intercâmbio cultural e a mútua influência, proporcionando uma integração econômica, política e cultural.

Para saber mais sobre esse movimento migratório:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s