Agenda 2030, Assembleia Geral, Comércio, G20, ONU, UNICEF

A ida da Argentina à Assembleia Geral das Nações Unidas não fica somente nos debates!

João Galdino D. Rodrigues

Em semana de debates do principal órgão de discussão do sistema onusiano, a ida à sede da ONU em Nova Iorque tem outras reuniões, participações, aproximações ainda que sejam no mesmo âmbito.

A iniciar, antes mesmo do primeiro dia de debates (Terça-Feira, com o Brasil), na Segunda-Feira, a Argentina, na figura de Faurie, participou da reunião de uma Organização a qual é observadora, a Organização Internacional da Francofonia. Na reunião, o chanceler ressaltou a multiplicidade de valores, o respeito a outros idiomas e organismos, o que, claramente exemplifica o objetivo da Argentina de se recolocar ao mundo, lembrando que a OIF tem mais de 80 países-membros.

Como o tempo é curto, no mesmo dia, Faurie se juntou a outros chanceleres, secretários, ministros ou comissários, como, do Japão, da Austrália, da Alemanha, da China, ou de sistemas de integração, como a União Europeia. Nesta conversa informal, o tema foi meio ambiente, energia e mudanças climáticas, sendo assim, o chanceler, convidado por Gary Cohn, Diretor do Conselho Econômico Nacional dos Estados Unidos, somente ressaltou a vontade dos países dos G20 de assegurar o compromisso com esses temas, e com o Acordo de Paris.

Na Terça-Feira, o chanceler e a Vice-Presidente, se reuniram com a brasileira Rosangela Berman-Bieler, chefe da seção da UNICEF de pessoas com deficiência, para discutir o respeito com a educação, a saúde, questões esportivas e culturais, além da criação de instituições e instrumentos normativos para os deficientes; com o Inglês Guy Rider, Diretor Geral da Organização Internacional do Trabalho, para discutir uma conferência que se realizará em Buenos Aires, a IV Conferência Mundial para erradicação do trabalho infantil, incluída na “Agenda 2030”; e, com a nigeriana Amina Mohammed, Subsecretaria Geral das Nações Unidas, para falar justamente sobre a Agenda 2030 – para o Desenvolvimento Sustentável.

Ainda na Terça-Feira, uma reunião menos badalada sobre educação, o Festival Global Citizen Week, realizado no Central Park.

Michetti e Faurie com autoridades da UNICEF, OIT e ONU

Um ponto importante merece ser analisado, em três dias (de Quarta-Feira à Sexta-Feira), Faurie fez 12 reuniões, praticamente em sequência, sendo difícil até estabelecer uma ordem. Na quarta, com representantes judeus da World Jewish Congress, da B’nai B’rith International e da American Jewish Committee, trataram de Holocausto, de Terrorismo, da visita de Netanyahu na última semana à Argentina, de políticas sociais, ambientais e segurança-pública, abrindo, um diálogo religioso e uma aproximação com uma região crucial para esse tema, que é Israel, inclusive, que envolve questões do jogo político. Diversas Reuniões Bilaterais: Espanha, Ucrânia (Na Quarta-Feira); Letônia, Marrocos, Finlândia, Irlanda, Anistia Internacional (Na Quinta-Feira); Itália, Tunísia e Catar (Na Sexta-Feira). Com os países, todas no âmbito bilateral, focaram os temas mais corriqueiros como, comércio, aproximação, crescimento recíproco, educação, saúde, empreendedorismo, ciência e segurança, além de OCDE com os países que são membros e União Europeia com os países-membros desta. Destaca-se a reunião com Salil Shetty, Secretário Geral da Anistia Internacional, para tratar de refugiados, direitos humanos, envolvendo a Venezuela e o apoio do G20.

Por último, não menos importante, aliás, ainda mais importante, a Argentina assumirá a presidência do G20 durante o próximo ano. Reparem que escrevi neste artigo “G20” por 3 vezes, e não por acaso, já que, Faurie, tomando como base a ideia de reinserção do cenário mundial da Política Externa Argentina, está usando o G20 como forma de ascensão e de aproximação com os países, organizações, e até empresas. Além do G20, há outro grupo que a “Nação” se aproxima, o 3G (Global Governance Group), ligado ao G20, porém mais informal, composto por 30 países, sendo nenhuma potência e com representantes de todo o mundo. Apesar do discurso pronto de Faurie ao tratar desse tema, esse que vos escreve afirma que, Faurie continua batendo na mesma tecla sobre reinserção, cooperação Sul-Sul, perspectiva do Sul e desenvolvimento sustentável (ligado a Agenda 2030).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s