Análise da Semana, Constituição, Coreia do Norte, Eleição, Oposição

A dissolução do Parlamento Japonês

Matheus Raimundo Cornedi

Em setembro,  na segunda-feira do dia 25, as eleições gerais foram antecipadas através da dissolução do Parlamento Japonês, especificamente a câmara baixa, onde se concentra maior número de participantes políticos vindos da população, os representantes. Em conferência de imprensa no próprio dia, Abe anunciou o plano de dissolver a câmara baixa – que, com a câmara dos conselheiros (câmara alta), compõe a Dieta – no final de uma sessão extraordinária que agendou para a próxima quinta-feira, 05 de outubro, para realizar o plano.

“Há cinco anos, conseguimos mudar o Governo com o apoio do povo e prometemos levar a cabo uma reforma económica”, afirmou Abe em conferência de imprensa, acrescentando: “Agora é o momento para ir mais longe e aplicar as últimas fases para garantir o crescimento”. O primeiro-ministro nipónico espera, segundo fontes governamentais citadas pela Bloomberg e Reuters, que o apoio da opinião pública à sua posição firme face à Coreia do Norte e a ausência de uma oposição coerente ajudem a sua coligação no poder a manter a maioria de dois terços na câmara baixa , câmara dos representantes, do parlamento, a Dieta. 

A oposição se manifestou, informando que a marcação de eleições antecipadas não passa de uma jogada política de Abe para se manter no poder. E acusam o primeiro ministro de arriscar a criação de um “vácuo no poder” nem uma altura crítica para a segurança nacional.  Referente aos últimos meses, o  Governo do Partido Liberal Democrata, tiveram diversos acontecimentos com seus ministros.Um destes acontecimento, que ainda está em investigação , envolve suspeitas de favorecimento pelo próprio primeiro-ministro e pela mulher a duas escolas ligadas a grupos ultranacionalistas, as organizações organizações educacionais Moritomo Gakuen e Kake Gakuen

Com tal decisão, o premiê japonês quer aproveitar a desorganização da oposição para obter mais assentos no Parlamento, situação importante na tentativa de Abe de rearmar o Japão, por meio de uma reformulação da Constituição pós-Segunda Guerra Mundial. O plano de Tóquio de implementar mudanças em seu setor militar já foram notados por meio de um aumento dos gastos militares previstos para o orçamento de 2018 – medida que foi amplamente criticada pela China, que se diz “preocupada” por a postura japonesa.

As eleições legislativas no Japão estão marcadas para acontecer em 22 de outubro.

Para saber mais:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s