Conflitos, Crise, Imigração, Pesquisa, Terrorismo

A maior fonte de preocupação de 1 em cada 4 italianos é a imigração

Isabella Nicotari

Essa pesquisa foi feita pelo ISPI – Instituto per gli studi di politica internazionale, ou Instituto para os Estudos de Políticas Internacionais, em português. Este think tank é o principal da Itália, e um dos melhores da Europa. Recentemente, o instituto fez uma survey sobre diversos assuntos que “atormentam” os italianos: Donald Trump, a possível guerra nuclear surgindo na Ásia, a crise econômica na Itália, e finalmente, a questão da imigração.

Embora a crise continue sendo, no geral, a maior preocupação da população italiana, a questão migratória segue bem perto. Os entrevistados afirmam que têm medo de conflitos entre os imigrantes em terreno italiano, e que estão mais vulneráveis que no passado. Na primavera de 2016, quando a mesma pesquisa havia sido feita, apenas um em cada seis italianos tinha como principal preocupação em relação ao futuro da nação, a imigração.

Mais da metade dos entrevistados afirmam que o governo “continua a fazer pouco em relação à questão migratória. Não conseguiu nenhum resultado relevante”, e um terço respondeu que “conseguiu resultado, mas poderia ter feito mais e melhor”, o que reflete a insatisfação de grande parte dos italianos em relação à política de Paese dell’accoglienza (país de acolhimento).

Em relação à pesquisa feita de 2016, 45% dos entrevistados afirmaram que estão ainda mais preocupados com a questão que no ano passado. Muitos temem um atentado terrorista na Itália, coisa que ainda não aconteceu nos últimos tempos. Com as ameaças constantes do Estado Islâmico, afirmando que o país é o próximo alvo, os italianos têm medo, e acabam associando terrorismo aos imigrantes. Ainda sobre a desconfiança do povo italiano no governo, metade dos entrevistados afirmaram estar mais preocupados que ano passado em relação à capacidade do país de integrar estes imigrantes.

Apesar de tudo isso, a chegada de imigrantes refugiados caiu em relação a 2016. Até o final de setembro desse ano, chegaram 104 mil imigrantes nas costas italianas. Ano passado, foram 160 mil. Mesmo assim, 60% dos entrevistados são a favor do Plano Minniti, que tem por objetivo proibir a entrada de refugiados pelo mar, mesmo que isso signifique que os navios afundam.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s