Catalunha, Crise, Independência, Rejeição, União Europeia

A Opinião Italiana Sobre a Catalunha: a Mídia, o Público e o Governo

Isabella Nicotari

A Mídia Italiana Sobre a Catalunha

Nas últimas semanas, a mídia italiana tem fervido com notícias e opiniões sobre a recente declaração de independência da Catalunha. O jornalista Gwynne Dyer escreveu para o jornal italiano Internazionale sobre “O Falso Referendum e A Falsa Independência da Catalunha”, explicando a “precisa estratégia” do Presidente catalão Carles Puigdemont, e o fato de que, caso a Catalunha conseguisse mesmo a independência da Espanha, precisaria fazer um pedido de adesão à União Europeia, pois já não faria mais parte.

Ainda no Internazionale, o jornalista Bernard Guetta afirma que a independência da Catalunha é diferente da do Curdistão, e enumera diversos argumentos, entre eles: “os curdos são iraquianos, turcos, sírios e iranianos antes de qualquer coisa. Os catalães são catalães antes de qualquer coisa.”

No jornal Il Post, a jornalista Elena Zacchetti afirma que “a Catalunha se tornou um jogo de xadrez”. Neste artigo, ela levanta o questionamento: “Ainda não dá para entender se Puigdemont voltará atrás (se é que um dia foi pra frente?) enquanto Rajoy se prepara para usar o artigo 155 (ou só ameaça, e fica por isso mesmo?)”

O fator comum entre os artigos ou notícias de mídias populares italianas é que quase nenhum é a favor da independência. Isso influencia e/ou espelha a opinião pública sobre o assunto. O jornalista Niccolò Massariello entrevistou alguns italianos que moram em Barcelona. Um deles disse: “no início, o independencialismo me encantava, porém quanto mais me educava no assunto, mais mudava de opinião. Hoje, não sou nem um pouco a favor”.

A Declaração do Ministério de Relações Exteriores

No dia 10 deste mês, o Ministro de Relações Exteriores italiano Angelino Affano afirmou:

“[…] A Itália considera que a declaração de independência é inaceitável e rejeita qualquer avanço. Expressamos nossa confiança na capacidade do governo espanhol de proteger a constituição e a legalidade, e garantir os direitos de todos os cidadãos.”

Uma declaração limpa e direta, que deixa clara a opinião diplomática italiana quanto à Catalunha. A vizinha Suíça, porém, apoia a independência; assim como a Inglaterra, a Irlanda, a Bélgica, alguns países escandinavos, e alguns Estados que constituíam a ex-URSS.

Silvio Berlusconi: “Respeito a Rajoy”

Nesta quinta-feira (19), o líder do partido Forza Italia foi questionado a respeito da situação catalã. Na coletiva de imprensa, ele disse:

“É uma crise difícil que, penso eu, só pode ser resolvida com diálogo dentro de um quadro de legitimidade constitucional. Respeito ao presidente espanhol Rajoy, eu provavelmente não teria mandado a Guarda Civil para cima dos eleitores catalães. Agora me parece que estão em um momento de conflito acirrado, havia um ultimato que aconteceria hoje. Enfim, eu acho que somente pelo diálogo se chegará a uma solução, e é importante levar em conta os catalães que votaram para ficar na Espanha. De qualquer modo, é preciso se voltar à legitimidade constitucional.”

Para saber mais:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s