Acordo de Paris, Armas Químicas, Cooperação, Mudanças Climáticas, Multilateralismo

Ocorridos da Semana, Multilateralismo, Novos Caminhos e Problemas Internos

João Galdino D. Rodrigues

Semana complicada e agitada nos âmbitos internos e externos Argentinos. A iniciar no dia 12 de outubro, quando Brasil, Argentina e Uruguai representados por negociadores, realizaram uma reunião na Argentina para discutir sobre Mudanças Climáticas e o Acordo de Paris, antes de irem à COP 23 (Conferência das Partes), o objetivo era fortalecer um trabalho conjunto na região nesse aspecto e iniciar uma discussão sobre futuras propostas. No mesmo dia, dois vice-chanceleres (Argentina e Rússia) se reuniram numa reunião de consultas políticas abrangendo temas de investimento, educação e cultura, energia nuclear, entre tantos outros. Importante ressaltar que a Rússia apoia constantemente uma solução pacífica para a questão das Malvinas, em favor da Argentina.

Logo da Conferência das Partes de 2017 com sede em Bonn, que ocorrerá entre os dias 6 e 17 de Novembro

“A Nação” vem realizando diversas consultas com países da região sobre a proibição de armas químicas, isso, após o cumprimento de um programa de ensino da Organização para Proibição de Armas Químicas (OPAQ). Como membro dessa organização, esse processo funciona basicamente como uma aula de assistência à esse tema, o objetivo é exterminar a proliferação desse tipo de armas na região. Nessa semana o “aluno” foi a Guatemala.

Enquanto o Acordo entre MERCOSUL e União Europeia não sai, há um grande avanço com outro grupo, o EFTA (European Free Trade Agreement), formado por Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça, muito mais próximo de ocorrer, as oportunidades e possibilidades são grandes, porém, está marcada mais uma rodada de negociações no início do próximo ano

Abrangendo um tema interessante na semana, “nacionalismo x integração comercial”, houve, nesta semana, uma conferência, uma apresentação, onde o chanceler afirma que a Argentina busca se abrir cada vez mais. Apesar de a “direita” no mundo, hoje, buscar cada vez mais o fechamento, o isolacionismo, e o ensimesmamento, a Argentina sob um governo de “centro-direita” aposta nas palavras de Faurie, no multilateralismo e nas relações bilaterais para desenvolver-se. De certa forma, a Argentina é um ponto fora da curva, e claramente, é possível ver que, não é somente um discurso populista, ela age para alcançar novos espaços no mundo.

Faurie na “Universidad Nacional del Litoral”

Este artigo está sendo descrito antes do terceiro final de semana de outubro, neste, ocorrerá as eleições legislativas que vem causando rebuliço na política interna da Argentina. Na próxima semana, ocorrerão novidades quanto a esse assunto. Enquanto isso, é necessário dizer que o maior “causo” da semana, nos jornais, é o possível encontro de um corpo que pode pertencer a Santiago Maldonado, artesão desaparecido a aproximadamente 90 dias em um protesto de apoio à causa Mapuche. O caso virou notícia internacional, e vem influenciando os debates. Esperemos pelos próximos capítulos.

Para saber mais sobre o EFTA:

Sobre a COP 23:

Sobre o Caso Maldonado:

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s