Análise da Semana, Cooperação, Desaparecimento, Educação, Reunião, Vigilância

Agenda Gelada e Perigosa

João Galdino D. Rodrigues

Na expectativa do encontro do submarino da “Armada de la República Argentina” denominado San Juan, desaparecido no oceano próximo ao Golfo de San Jorge, na Patagônia Argentina, e com 44 militares a bordo.

Destaca-se que dentre os militares está a primeira submarinista sul-americana do sexo feminino, que acompanhada dos outros 43 militares estava em missão de patrulha e vigilância no mar territorial argentino. Outro destaque que deve ser dado é a ajuda dos seguintes países: Brasil, Peru, Uruguai, África do Sul, Estados Unidos e Chile e o surpreendente Reino Unido, todos disponibilizando, aviões, aviões marítimos, fragatas, quebra-gelos, Tracker, destroyer, corvetas, drones, enfim, diversas embarcações e aeronaves espalhadas num perímetro que já foi percorrido em cerca de 80%, sem sucesso.

O Gigante ARA SAN JUAN, após ser reformado em 2013, na Argentina, para mais 30 anos de trabalho. Seu irmão, Santa Cruz foi reformado no Rio de Janeiro, 10 anos antes.

Na tarde de sábado, houve, segundo o Ministério da Defesa Argentino, sete tentativas de contato do submarino com a base marítima em solo, porém fracassadas. Isso quer dizer que, após 3 dias de buscas, o submarino ainda estava em condições de contato, e após 5 dias, as buscas continuam, agora com esse reforço e ânimo.

Na agenda na Cancillería durante a semana que passou, alguns temas merecem relevância, vamos a eles.

No início da semana, houve uma reunião entre Jorge Faurie e Suzanne Grant-Lewis, a Diretora do Instituto Internacional de Planejamento da Educação (IIPE) da Organização da Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO. O objetivo desse encontro foi afirmar o acordo firmado em 1998, sobre educação. No mesmo dia, porém na outra ponta da agenda, houve uma reunião organizada pela LAMENT (Rede Latino-americana para Educação e Capacitação em Tecnologia Nuclear, um simpósio para gestão de conhecimento nuclear, que é um tema que não tem tanta atenção na América do Sul.

Alguns dias depois desta, houve o Segundo Simpósio Internacional sobre Educação, Capacitação, Divulgação e Gestão do Conhecimento Nuclear. O que demonstra uma atenção maior para com o tema, pelo menos do lado Argentino, e que acaba resvalando no Brasil, por conta do Mercosul e dos Tratados Nucleares bilaterais e regionais.

Antes do “desaparecimento” do ARA SAN JUAN, a Cancillería e o Ministério de Defesa se reuniram para abordar temas relacionados a Antártica, como a região de Ushuaia, próximo do perímetro de buscas do submarino. Continuando na frieza e não menos perigoso que Antárctica ou Conhecimento Nuclear, vamos a Rússia, na verdade, já fomos, no final da semana, Faurie se reuniu com o Chanceler russo Serguei Lavrov para reunião denominada de “Estratégia”, entretanto, o principal tema foi o comércio, a exportação de carnes de porco e de aves argentinas em contrapartida com um desenvolvimento de energias renováveis e biotecnologia. Firmaram uma visita de Macri à Rússia em Fevereiro junto a uma missão empresarial.

Jorge Faurie e Sergei Lavrov

Para saber mais sobre a busca do ARA SAN JUAN:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s